Link Grupos privativos e FIT

Marrocos

Língua: Árabe

Moeda: Libra Libanesa

Visto: Visto de turista exigido para Brasileiros.

Vacinas: Não é necessário nenhuma vacina

Clima

A primavera (março a maio) é provavelmente a melhor época do ano em todo o país. As árvores estão floridas, os Atlas ainda estão com neve, as paisagens estão exuberantes e o calor ainda não está muito forte. Nesta estação, a temperatura fica na média dos 22 a 24° C.

Não importa se você viajará para a região do deserto, evite o verão. Mesmo as cidades longe do deserto atingem temperaturas muito elevadas durante os meses de verão – junho a agosto. No entanto, se sua intenção é explorar as montanhas dos Atlas, o verão pode ser o momento ideal, já que a temperatura é mais baixa devido à altitude.

No outono (setembro a novembro), a temperatura nas cidades do interior e sul tornam-se suportáveis. Pode ser uma boa época para quem quer visitar o Deserto do Saara.

De forma geral, o inverno (dezembro a fevereiro) é muito leve durante o dia no sul, cidades costeiras e cidades do interior. A temperatura fica na média dos 20°C. Mas tenha atenção em relação às diferenças térmicas entre o dia e a noite. Mesmo com temperaturas confortáveis durante os dias, as noites são muito geladas.

Gastronomia

A cozinha típica tem muitos pratos a tajine, a harira, o cuscuz e o chá de menta (hortelã). Um dos hábitos da cultura do país é comer com as mãos, ou com a ajuda de pão marroquino, e sempre com a mão direita. A esquerda é usada para a casa-de-banho. Os marroquinos têm o costume de beber chá com hortelã e você será convidado inúmeras vezes para beber um chá.

As especiarias são usadas abundantemente. A canela, cominhos, gengibre, sésamo, açafrão e pimenta preta, são apenas alguns dos exemplos. A comida marroquina é conhecida pelos seus sabores marcantes. O mel é muito usado, por isso, encontra os bolinhos de mel, crepes, feqqas (biscoitos com amêndoas) e os ghoriba (bolinho de côco ou amêndoa e sésamo). A tradição manda que se coma de uma única travessa comum, para todos os que se sentarem à mesa. Mas, nos restaurantes, tem sempre talheres para quem não se sentir à vontade em comer com as mãos.

 

Principais Cidades

 

Casablanca

Casablanca é a maior cidade do Magrebe e a capital econômica e financeira do país. Com mais de 4.000.000 milhões de habitantes, a cidade é o primeiro centro de negócios do país, o primeiro porto e o primeiro centro universitário. É bom viver nesta cidade graças ao seu clima, mar, jardins, tradição e modernidade. É a cidade dos negócios. Graças ao seu aeroporto internacional que serve a maioria das principais cidades do mundo, ao seu porto comercial e  aos muitos bancos e serviços financeiros. É uma cidade moderna e movimentada, com pouco interesse para os turistas, mas vale a pena ficar um ou dois dias para visitar a Mesquita Hasan II, o Bairro Habous, a Villa de las Artes, o Museu do Judaísmo Marroquino , o maravilhoso bairro de Anfa, e caminhar ao longo de suas praias. Você pode até curtir sua vida noturna.

Ouarzazate

Ouarzazate é uma cidade do sul de Marrocos, situada a cerca de 1160 metros de altitude, bem no Alto Atlas. É considerada uma porta de entrada para o deserto do Saara apesar das condições climatéricas que aqui existem serem por vezes bem diferentes do se espera quando se pensa em Marrocos: os Invernos podem ser rigorosos, com queda de neve nas montanhas envolventes e, pontualmente, na própria cidade.

Merzouga

Merzouga é uma vila no deserto do Saara, na beira do Erg Chebbi, um conjunto de dunas de 50 km de comprimento e 5 km de largura que chega a 350 m. A maioria das pessoas está aqui para fazer um safari de camelo nas dunas e experimentar a vida berbere remota (influenciada pelo turismo). A população local é uma mistura de árabes e berberes, e geralmente acolhedora e amigável.

Rabat

Rabat é a capital do Marrocos. A cidade está localizada no Oceano Atlântico, na foz do rio Bou Regreg. Na margem em frente ao rio, fica Salé, cidade-dormitório de Rabat. Juntamente com Temara, as cidades representam uma população metropolitana combinada de 2,6 milhões. É uma cidade tranquila para os padrões marroquinos. Há muitas coisas para fazer aqui, pois na maioria das cidades marroquinas basta apenas passear e se aventurar no que quiser. No Kasbah de Udaia, há um café incrível que pode ser visto sobre o mar, onde você pode beber chá de menta e comer guloseimas açucaradas. Além da Kasbah de Udaia, você pode visitar a Torre Hasan, a Necrópole de Chella, a Mesquita Agdal, a Catedral de São Pedro em Roma, Dar al-Mahkzen, que é o palácio nacional, Bab ar-Rouah e Avenida das Forças Armadas.

Mequinez

Perto de Meknes é uma cidade moderna e vibrante, cheia de vida noturna, restaurantes e um impressionante palácio real. Como é relativamente ignorado pela maioria dos turistas, também é livre dos inconvenientes usuais que afetam outros centros turísticos. Embora Meknes seja uma cidade imperial com muitos monumentos históricos e locais naturais. É também a cidade mais próxima das ruínas romanas de Volubilis (Oualili). Os preços em Meknes estão entre os mais razoáveis do Marrocos e as pessoas são muito mais amigáveis e agradáveis do que nas outras cidades. Seus locais turísticos são Bab Mansour, que é o maior portão de Marrocos e norte da África, Praça Hedim, Heri es-Souani, Madrasa Bou Inania, uma instituição teológica, a Prisão de Cara e o Museu Dar Jamai.

Fez

Conhecida como a Pérola de Marrocos e a Jóia do mundo árabe, Fez é a mais antiga cidade imperial. Sua história remonta ao século VIII. Situada entre o norte e o sul, na planície de Sais, é a capital cultural e espiritual do Marrocos tradicional. Em todos os lugares, requinte, arquitetura, música, artesanato e tecidos incomparáveis. Fes el Bali, cidade antiga, Fes el Jedid, a “nova” cidade e Ville Nouvelle (área moderna) compartilham o espaço. Três cidades que precisam ser descobertas. Perca-se na cidade antiga em suas ruas estreitas. Acompanhe o curso da história ao longo de vários séculos. Uma animação incrível leva o visitante a tradições imemoriais. Madrasas, mesquitas, palácios e minaretes são as mais bonitas. Especiarias e corantes, jóias, tecidos e perfumes testemunham a prestigiada história desta cidade. Suas atrações são os souks (mercados), o palácio real, o Palácio Jamai, os túmulos de Mérinides, o norte e o sul de Borj, Ain-Nokbi, a Medersa el-Attarine, a Mesquita Karaouiyine, a Mesquita dos Andaluzes e Mellah

Beni Melal

Beni Melal é a capital da região de Tadla-Azilal. Está localizado entre o Atlas Médio e a planície de Tadla, no centro do país. As muralhas da cidade remontam a Mulay Ismail, em 1688, bem como a Kasba Bel-Kush, mas a maior parte da cidade é bastante moderna e forma um importante centro econômico da região, em particular nos campos da produção petroquímica, bem como a manufatura têxtil que forma a espinha dorsal da comunidade em geral. Produtos agrícolas locais, como laranjas, azeitonas e figos, chegam ao mercado através da Beni Mellal. Embora não exista muita arquitetura antiga, a maior desde que a cidade é moderna, seu ponto de interesse é o famoso souk (mercado) que acontece às terças-feiras, também caminhe em direção à primavera de Ain Asserdoun, a 10 km de distância, e também caminhe pelo Kasba de Ras el-Ain, onde há muitos jardins e belas cachoeiras. Acima, você pode ver o panorama dos olivais da planície de Tadla.

Marrakech

Marrakech é a terceira maior cidade do Marrocos, depois de Casablanca e Rabat, e fica perto do sopé das montanhas do Atlas. Fica a algumas horas do pé do deserto do Saara. Sua localização e seus contrastes paisagísticos o tornaram um destino invejável no Marrocos. A cidade é dividida em duas partes distintas: a Medina, a cidade histórica e o novo distrito europeu moderno chamado Gueliz ou Ville Nouvelle (Cidade Nova). A Medina está cheia de corredores estreitos entrelaçados e lojas cheias de personalidade. Ao contrário, Gueliz abriga restaurantes modernos, redes de fast food e lojas de grandes marcas. A cidade possui o maior souk tradicional (mercado) do país e uma das praças mais movimentadas da África e do mundo, Yamaa el Fna. Acrobatas, contadores de histórias, vendedores de água, dançarinos e músicos são citados na praça. À noite, a praça está cheia de barracas de comida, tornando-se um grande restaurante ao ar livre. Há muito o que ver e fazer em Marrakech. Um dia inteiro pode ser gasto andando nos souks, em busca das melhores pechinchas. A cidade oferece vários locais de interesse histórico e arquitetônico, além de alguns museus interessantes.

Orçamento

Autenticação